Em “Trajetória de um Espírito Cotidiano”, cantor recapitula as escolhas que fazemos ao longo da vida

“Mal chegamos, tão pouco ficamos, já vamos partir,” entoa Beto Pinheiro entre caras e bocas numa espécie de anti-refrão que captura a pungência de uma das mais assustadoras certezas que o ser humano carrega: a morte. Tal afirmação é a ponte que une e acalenta os versos de “Trajetória de um Espírito Cotidiano”, o mais novo lançamento do cantor mineiro criado em Iúna.

Escrita pelo compositor Jhonatan Pinheiro, a canção examina as particularidades cotidianas da natureza humana ao longo das fases da vida de um indivíduo. Da formação do feto aos primeiros passos e palavras; das brincadeiras da infância aos questionamentos da adolescência; da ousadia da juventude ao abuso de drogas e álcool; e do alcance da maturidade, emprego fixo e família à velhice e o peso da idade.

Focado apenas no rosto do cantor, o vídeo expressa a gravidade dessa trajetória pela teatralidade transmitida por Beto ao longo de seus quatro minutos. Analogamente, à medida que sua narrativa progride e o indivíduo passa a questionar o que está à sua volta, novas camadas de arranjos são introduzidas, deixando a canção cada vez mais densa e assustadora — assim como complexa e bonita.

Veja:

Texto: João Depoli; Foto de capa: Reprodução/YouTube.

Gostou? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para não perder mais nenhuma matéria.

Categories: Notícias