AshBürn parte para São Paulo e The Devils apresenta novo vocalista em noite com a banda Angra

capa-ashbürn-the-devils-show-angra-bruno-fernandes-correria-music-bar-pollyana-santos-divulgação
Foto de capa: Pollyana Santos/Divulgação.
PUBLICIDADE

Na última sexta-feira (01), o Correria Music Bar recebeu o tão esperado show da banda paulista de power metal Angra. Com ingressos esgotados, a casa fez jus à sua fama de “reduto dos camisas preta” e recebeu uma surpreendente legião de amantes do metal — que permaneceu por lá a noite toda, não importa quem estivesse tocando!

show-angra-ashbürn-the-devils-correria-music-bar-divulgação-facebook
Foto: Divulgação/Facebook.

Prepare to Burn

Com gigantescas filas nunca antes vistas na beira da Praia de Itaparica, os shows começaram cedo — pontualmente às 22h. A primeira banda a subir ao palco externo do Correria foi a AshBürn, que fez seu último show antes de partir rumo à capital paulista e a gravação de seu novo álbum. Mesmo abrindo para um grupo tão importante quanto o Angra, o quinteto liderado pelo vocalista Heron Ribeiro não se deixou intimidar e conseguiu manter a atenção do público fixa ao longo de toda a sua performance.

+ AshBürn faz seu último show antes de gravar novo álbum
+ Bandas de abertura do show do Angra em Vila Velha são anunciadas

“Que noite! Agradecemos a todos que fizeram dessa noite a melhor noite de nossas vidas! Foi uma honra abrir o show do Angra, dividir o palco com os nossos irmãos da The Devils, e ver o sorriso estampado no rosto de cada um ao início de cada música, e os aplausos ao final de cada. […] Ao público[,] queremos beijar a testa de cada um, o que é bem difícil, mas o que podemos fazer é entregar um álbum tão grande quanto vocês merecem! As reações às músicas novas foram extremamente positivas, e isso nos emociona de forma indescritível,” diz a mensagem publicada pela banda após seu show.

Nova Era

Pouco depois dos acordes finais da última música da AshBürn, o palco principal do Correria finalmente foi ocupado pelo Angra. Segundos depois, o local já estava tomado e era praticamente impossível se locomover lá dentro. O tempo frio e a refrigeração logo se renderam ao calor emanado pela maré de fãs enlouquecidos ao som de sua banda preferida e a noite de Vila Velha foi preenchida por solos, cantorias e muito suor.

Enquanto isso, num set incrivelmente enérgico e de execução impecável, a banda revisitou toda a sua carreira, desde as clássicas “Carry On” e “Nova Era” às novas canções introduzidas no recente álbum Omni (2018), sendo ovacionada pelo público antes, durante e depois de cada música. Como se não bastasse, vale mencionar que a noite se tornou ainda mais especial graças à constante interação de Fabio Lione (vocalista) e companhia.

Apesar disso, talvez um dos aspectos mais notórios deste show tenha sido a sonorização. Deixe-me explicar: quem está habituado a ir em shows no Correria sabe que isso significa abdicar de algumas frequências sonoras em sua audição ao fim da noite, no entanto, enquanto o Angra esteve no palco, o público pôde ouvir em alto e bom volume tudo o que deixava o sistema de som. Mesmo com toda a gritaria e euforia dos presentes, foi possível não só acompanhar, mas compreender perfeitamente todas as linhas de guitarra, baixo, bateria e até mesmo as letras das canções — algo até então inédito num show dessas proporções. “Eu achei a sonorização perfeita, talvez a melhor até hoje. Alguém discorda?” comentou o próprio Paulo, dono do estabelecimento.

We Are The Devils

Após duas horas de show, o Angra encerrou sua sensacional performance, talvez a melhor apresentação de uma banda que o Correria já recebeu. Quanto à plateia, ao deixar a área interna da casa, ela novamente se viu em outra zona do metal ao ser recebida pela banda The Devils, que prontamente ocupava o palco externo. Mesmo extasiada, exausta e ensopada, a galera não se deu por vencida e mostrou que ainda aguentaria mais uma hora de heavy metal. Retribuiu os sorrisos que estampavam os rostos dos Devils e logo começou o coro que já é carta marcada nos shows do quarteto: “We are The Devils! We are The Devils! We are The Devils!”

Embora a banda tenha se apresentado na semana anterior na quarta edição do festival que organiza, a The Devil’s Fest, o show no Correria marcou o verdadeiro teste de fogo de seu novo vocalista, Bruno Fernandes. Escolhido a dedo para mitigar a saída do antigo vocalista Izzy, o novo integrante do grupo mostrou que não foi convocado à toa. Com uma voz que em nada deixa a desejar e uma vibe à la Robert Plant (Led Zeppelin) e Scott Weiland (Stone Temple Pilots e Velvet Revolver), Fernandes entregou uma bela performance junto de suas contrapartes e em momento algum a banda se amedrontou perante a gigantesca plateia que a circundava.

+ The Devils planeja estrear novo vocalista até o final deste mês
+ We Are The Devils, escute o primeiro álbum da banda The Devils
Vocalista anuncia saída e The Devils segue na busca de um novo Mr. Buddy

Obrigado a todos que estiveram lá [no] show com o Angra curtindo o nosso som. De verdade. Esse [evento] foi LINDO DEMAIS! É indescritível pra gente tentar explicar o que sentimos tocando aí no Correria Music Bar pra essa galera massa. Parabéns à AshBürn, ao Heron Ribeiro e, principalmente, ao Angra pelo show magnífico. […] We Are The Devils,” publicou a banda logo após sua performance.

Texto: João Depoli; Foto de capa: Pollyana Santos/Divulgação.

Gostou? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para não perder mais nenhuma matéria.