Novo EP do Bongrado já tem data de lançamento

bongrado-guilherme-cysne-tempo-ao-temporal-marcela-bicalho-divulgação
Bongrado (Crédito: Marcela Bicalho).
PUBLICIDADE

No final de maio, o músico e produtor Guilherme Cysne anunciou que estava prestes a entrar em estúdio para gravar o novo trabalho de seu projeto solo, o one man band Bongrado. Já nessa segunda-feira (27), após divulgar uma série de vídeos de prévias do registro em suas redes sociais, Cysne finalmente revelou sua data de lançamento.

“Fiz o upload do ‘Tempo ao Temporal’ para as principais plataformas de streaming. A partir do dia 17 de Setembro, você vai poder dar aquele play diário, pra fortalecer o brother aqui, além de colocar nas suas playlists, indicar pro amiguinho e tudo mais”, publicou.

PUBLICIDADE

Intitulado Tempo ao Temporal, o EP também marca uma nova fase no processo de trabalho do músico—que até então estava acostumado a fazer tudo sozinho. “Costumo brincar que o Bongrado é um exército de um homem só”, afirmou Cysne ainda em julho. “Esse formato one man band tem muitas vantagens, mas uma das grandes desvantagens é ter que tomar todas as decisões”, desabafou sobre o modus operandi por trás de seu primeiro disco, Nômade (2015), que reuniu canções compostas, cantadas, gravadas e produzidas exclusivamente por ele.

“[Em Tempo ao Temporal] quebrei um pouco o protocolo e pude compartilhar a criação da bateria com meu brother Leandro ‘Cabeção’ Stein [Quintal Selvagem], que também me presenteou com sua participação na gravina,” publicou durante as sessões de gravação no Eldorado Estúdio ao lado do produtor Thales Malacarne, que resultou no registro de três canções inéditas.

guilherme-cysne-bongrado-tempo-ao-temporal-capa-ep-instagram
Capa de ‘Tempo ao Temporal’ (Divulgação).

Merci

Enquanto aguarda o lançamento do EP, Guilherme também aproveitou para falar do terceiro álbum solo de seu parceiro André Mercier. “Fizemos uma audição oficial das demos e posso garantir que o trabalho tá fino. Vai ser mais uma pedrada desse projeto lindão que é o Merci”, afirmou no último dia 16 sobre aquele que será o sucessor de Dois é Par (2016)—disco que leva sua assinatura na produção.

PUBLICIDADE

“É uma evolução dos anteriores, em que vamos manter a essência emocional e magnética das músicas do Merci, trazendo elementos novos ao mesmo tempo,” disse sobre a direção que eles pretendem tomar neste disco. “É um retrato do momento atual do artista, como não podia deixar de ser.”

Texto: João Depoli; Foto de capa: Marcela Bicalho/Divulgação.

Siga o Inferno Santo no Facebook e no Instagram e pare de passar vergonha dizendo que “no Espírito Santo não se faz música boa”!

inferno-santo-thumbnail-svg

PUBLICIDADE