Já de casa, Juliano Gauche volta ao Cultura Livre para apresentar o disco Afastamento

juliano-gauche-afastamento-cultura-livre-nadja-couchi-divulgação.
Foto de capa Nadja Couchi/Divulgação.
PUBLICIDADE

Lançar um disco e apresentá-lo no programa Cultura Livre, da TV Cultura, certamente já se tornou uma tradição para Juliano Gauche—e uma que ele faz questão de manter. “Cultura Livre é a nossa casa na TV brasileira,” respondeu Gauche à tradicional pergunta de abertura feita por Roberta Martinelli, criadora e apresentadora do programa.

Sua primeira passagem por lá aconteceu ainda em 2013, quando o músico divulgava seu homônimo álbum de estreia—o primeiro após a dissolução do grupo Solana. Três anos depois, Gauche retornou ao programa para apresentar Nas Estâncias de Dzyan, seu belíssimo segundo disco. Dessa vez, Juliano e sua banda participaram de um episódio voltado ao seu novo álbum, Afastamento (2018).

“Tem um ar de exílio nisso de ficar muito tempo fora de casa, muito tempo longe da sua família, do seu povo. Parece que com o tempo vai ficando um vazio, uma perturbação ali, como se você estivesse desconectando de uma parte fundamental sua, entendeu? E, ao mesmo tempo, isso também é bom.”

Acompanhado pelos músicos Daniel Lima (baixo), Gustavo Souza (bateria), Kaneo Ramos (guitarra), Daniel Viana (violão) e Vitoriano Estável (teclados), Gauche tocou as músicas “Silmar Saraiva”, “Pra Festejar em Silêncio”, “Longe, Enfim”, “Dos Dois”, “Pedaço de Mim” e “Dos Cachorros Sisudos”. No intervalo entre as canções, ele também bateu um papo bastante descontraído com Martinelli. Ambos riram, fizeram piadas e conversaram sobre as origens do disco, o próprio Silmar Saraiva, as antigas profissões de Juliano, a produção do disco com Fernando Catatau, seus autores favoritos e mais.

Para falar a verdade, a dinâmica entre ambos fluiu tão bem que até sobre alienígenas eles conversaram! “Nossa, melhor tema,” disse Gauche em meio a risadas. “Eu confesso que eu estou num período em que eu estou lendo o máximo de coisas possíveis sobre o assunto. Tô fascinado, acho fascinante. Eu acho que, independente dessa coisa de crer ou não crer, tem uma lacuna histórica aí de fenômenos e coisas que é bem legal. Particularmente eu acho enriquecedor pra tudo o que eu faço,” disse o músico sobre essa temática alienígena.

Assista abaixo ao episódio completo:

Faixa Bônus

Além do conteúdo que foi ao ar no programa, uma faixa bônus também foi disponibilizada exclusivamente no canal do Cultura Livre no YouTube. Trata-se de “De Manhã, Logo Cedo”, canção que por pouco não entrou no conjunto do Afastamento e que acabou se tornando o novo single da cantora Soledad.

“O melhor presente que eu ganhei nesses tempos,” derreteu-se a cantora de Fortaleza que acompanhou Juliano na primeira execução ao vivo da canção. Veja:

PUBLICIDADE

Edições anteriores

Aproveite também para relembrar as passagens do músico pelo programa em 2016 e em 2013, e testemunhe a notável evolução de sua carreira.

Texto: João Depoli; Foto de capa: Nadja Couchi/Divulgação.

Gostou? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para não perder mais nenhuma matéria.

PUBLICIDADE